Aprender outro idioma

Domine mais um idioma e decole mais alto – Aprender outro idioma

Quem tem boca vai à Roma, mas quem domina pelo menos mais um idioma vai a qualquer lugar.

A grande maioria das viagens exige que haja o mínimo de contato e comunicação com as pessoas durante o trajeto, sejam moradores locais ou outros viajantes de passagem. Para se deslocar, para encontrar as melhores hospedagens, para desfrutar dos melhores passeios e até para se alimentar bem é preciso perguntar, conhecer, trocar informações e, claro, se arriscar.

Uma amiga fez um curso de mega hair e em paralelo um curso de idiomas e posteriormente foi embora para os EUA e ganhou a vida fazendo com isso após fazer o curso de alongamento de cabelos.

Mas tudo fica mais difícil quando, além de não dominar o idioma nativo, você também não domina inglês ou espanhol, duas das línguas mais faladas no globo. Em lugares onde há um fluxo constante de viajantes, especialmente de mochileiros, sempre é possível encontrar uma concentração de pessoas de todas as partes do mundo – e, claro, falantes dos mais variados dialetos. Com certeza, alguma dessas pessoas vai saber falar fluentemente inglês ou espanhol e, se você souber também e estiver com problemas, ela poderá te ajudar com muito mais facilidade.

Por isso, selecionamos as principais razões pelas quais dominar um idioma além do português vai tornar a sua viagem muito mais agradável, segura e enriquecedora.

amigos no mundo
Amigos no Mundo

1 – Você vai saber onde e no que está gastando

Para começar, já temos um motivo e tanto. Todo mundo que já viajou pelo menos uma vez na vida com o dinheiro contado sabe a importância de economizar e manter sempre aquela reserva mínima para o caso de imprevistos.

Pois é falando um idioma em comum com as pessoas ao seu redor que você poderá conhecer os lugares mais baratos para se hospedar, se alimentar e fazer suas compras. Saber o lugar certo onde encontrar as opções mais baratas de consumo vai salvar um dinheiro que poderá ser muito útil em caso de surgir um problema ou de você decidir emendar uma viagem em outra.

E não pense que o idioma que precisa ser dominado neste caso é o regional. Principalmente em cidades turísticas, não será difícil encontrar uma pessoa para te ajudar a se comunicar com a população local e descobrir os seus encantos mais em conta sem precisar necessariamente ser fluente em sua língua oficial.

O grande segredo, porém, está em poder conversar com outros viajantes, de preferência aqueles que estão há mais tempo no lugar e chegaram antes de você. No geral, eles saberão como é a sensação de estar numa cidade diferente e sem conhecer ninguém, procurando economizar. Por isso, além de um itinerário contendo os estabelecimentos e programas mais baratos, eles poderão te fornecer também um pouco de atenção. Na estrada, isso é mais valioso que passaporte em dia.

É claro que se você for visitar um lugar muito ermo, sem costume de receber visitas de fora e em um país ou região de idioma atípico, haverá uma certa dificuldade para conseguir se comunicar. Mas como o inglês e o espanhol, mais acessíveis ao aprendizado, estão entre os três idiomas mais falados do mundo, as chances do seu destino de pouso ter uma dessas duas línguas como idioma oficial é grande.

Na Europa e na América do Norte, por exemplo, se você souber a diferença entre “where is the cheapest restaurant?” e “¿dónde está el restaurante más barato?” não tem com o que se preocupar. O espanhol e o inglês só perdem para o mandarim. Aliás, está aí outra língua que você fará muito bem em aprender se estiver afim de conhecer a Ásia.

2 – Você pode fazer trabalho voluntário e economizar mais ainda

Se a sua proposta de viagem é autossustentável, não dominar pelo menos o inglês poderá colocar tudo por água abaixo. Isso porque uma jornada onde você procura trocar serviços básicos pelo seu trabalho só é possível quando você consegue, primeiramente, se entender com possíveis contratantes e, depois, exercer a tarefa requerida.

É que nos sites mais famosos de trabalho voluntário para viajantes os serviços exigem interação direta e comunicação constante com pessoas de diferentes países. No WWOOF, por exemplo, talvez você tenha que aprender técnicas de aragem e plantio que serão melhor ensinadas em um idioma que você compreenda.

Já pelo Workaway e também pelo Worldpackers, empregos em hostels e hotéis são os mais comuns. Os acordos variam, mas geralmente, em troca de algumas horas de trabalho na recepção, você poderá garantir uma diária sem pagar pela hospedagem. Mas como você vai se comunicar com os hóspedes e dar conta do fluxo de viajantes se não fala outra língua sem ser o português?

Isso vai dificultar seu trabalho ao ponto de você se tornar desinteressante para a vaga. Assim, você perde uma oportunidade de prolongar a estadia, conhecer mais pessoas e visitar mais lugares. Sem a capacidade de fornecer informações e receber hóspedes, pode considerar a conquista de uma vaga em trabalho voluntário quase um milagre.

E, mesmo que esse milagre aconteça, prepare-se para sofrer tentando entender o que os viajantes dizem e perguntam. Atividades simples como saber o motivo de um check-out ou explicar os preços e tamanhos dos quartos se tornarão impossíveis de realizar.

viajar o mundo
Viajar o Mundo

3 – Conseguir se comunicar gera segurança e evita riscos

Imagine a seguinte situação: quase noite, as ruas se esvaziando aos poucos, o frio chegando e você ainda está perdido, sem saber como chegar no seu destino porque não consegue se informar com as pessoas. Por algum motivo, perdeu o mapa. Ou não está resolvendo muito ficar seguindo aquelas coordenadas confusas. Você realmente não sabe o que fazer.

Se chamar um táxi, quanto será que vai ficar? Onde eu anotei o endereço? Se você gostou da ideia de ter um negocio na área da beleza fazendo alongamento de cabelos no exterior, veja clicando aqui.

Obviamente, o ideal para quem vai viajar, em especial se para um lugar que nunca visitou antes, é ter tudo anotado à moda antiga. Endereço do local de hospedagem, telefones, dados pessoais… Um pedaço de papel no bolso dá conta de tudo isso, e a bateria dele nunca vai acabar. Mas se, por algum motivo, você não anotou nada ou perdeu suas anotações, o celular descarregou e a noite está chegando, é hora de recorrer a alguém.

A não ser que você esteja visitando um local que fala o português, somente a fluência em sua língua nativa não vai ajudar muito. Claro que é possível se comunicar por desenhos, gestos, sinais de fumaça, código Morse e até com o olhar. Mas leva tempo, por exemplo, para que um total desconhecido que você acabou de abordar (falando em português) lhe faça um mapa improvisado. E quem garante que as pessoas estarão dispostas a isso?

Então, na via das dúvidas, saiba ao menos perguntar “where is this hotel and how I can get there as safest as possible?”. Uma abordagem objetiva aumenta suas chances de solucionar as dúvidas de percurso, ainda mais em lugares mais frios, onde as pessoas têm ainda menos o costume de conversar com forasteiros e de dar-lhes atenção..

Por isso, é preciso muito cuidado na hora de escolher o idioma que você vai aprender para viajar. Falar alemão, turco, bengali, hindi ou sueco deve ser ótimo e vai garantir que muitos ao seu redor se surpreendam com sua fluência em idiomas mais exóticos. Mas não vai resolver muito se você não está nos países que dominam especificamente essas línguas.

Então, não tente apenas impressionar, saiba também se fazer compreender. Não tem muito como fugir do inglês e do espanhol. Decida-se por uma língua que muitas pessoas falam, mesmo que isso impeça que você tenha um diferencial. Depois de aprender o inglês, por exemplo, e garantir que você vai conseguir se comunicar na maior parte do planeta, aí sim invista em um complemento (talvez o árabe, que também pode ajudar muito dependendo do roteiro).

Ou seja, falar mais do que o português aumenta suas chances de conseguir se fazer entender e chegar em segurança onde quer. Tem coisa melhor?

Tem, sim.

Equipe Swis Saúde

Brasileiros entrarão sem visto no Canadá a partir de 2017

Você sonha em morar ou conhecer o Canadá? Chegou a sua hora!

Foi anunciado no dia 31 de outubro de 2012 pela Embaixada do Canadá no Brasil que brasileiros poderão viajar para o Canadá sem visto. Está previsto para medida entrar em vigor a partir de 1º de maio de 2017.

curso de bronzeamento natural
Curso de Bronzeamento Natural

De acordo com o comunicado da embaixada, os viajantes que já tiveram visto de residente temporário do Canadá nos últimos dez anos ou aqueles que possuem visto válido de não-imigrante dos Estados Unidos poderão entrar no país com uma Autorização Eletrônica de Viagem (Eta). O documento deverá ser solicitado no site oficial da embaixada.

“O Canadá é um dos destinos preferidos de visitantes e empresários brasileiros e expandir a elegibilidade da Eta tornaria mais fácil e rápido para muitos brasileiros virem ao Canadá,” afirma o Embaixador do Canadá no Brasil, Rick Savone.

Segundo ele, “a facilidade para viajar entre os dois países se traduzirá em mais oportunidades para fortalecer nossos laços interpessoais, turísticos e de negócios”.

Para adquirir a Eta, será preciso preencher um formulário e pagar uma taxa de $ 07 dólares canadenses. O documento ficará anexado ao passaporte do viajante, com validade de cinco anos ou até que o passaporte expire – o que ocorrer primeiro.

O Canadá é um país que atrai os brasileiros devido ao seu acelerado desenvolvimento econômico e como a mão de obra nativa e cada vez mais escassa, o Brasil é um dos países que mais se destaca no quesito mão de obra qualificada, dizem as pesquisas.

As principais formações cobiçadas pelos empresários principais miradas são: Administracão de Empresas, Contabilidade, Engenharias e Tecnologia da Informação.

Já preparou sua mala?

 

Equipe Swis Saúde

Conheça os Top 8 aplicativos para viagem

Está planejando seu próximo destino? Agora com a facilidade da internet e o uso de smartphones, seu planejamento pode ficar ainda melhor com o uso de aplicativos. Confira neste artigo: Top 8 aplicativos para viagem.

Você sabia que é possível acessar o curso de penteados online pelo seu celular também. Sim é possível, então não perca a oportunidade e Confira aqui.

1 – kayak

Como o primeiro passo para viajar é comprar as passagens, na nossa lista de Top 8 aplicativos para viagem, destacamos o kayak, um app que reúne tudo o que um viajante precisa: a possibilidade de buscar voos, alugar carros, reservar hotel, entre outros serviços. O bacana desse app é que ele mostra as opções mais econômicas. Você pode baixar gratuitamente e usar em seu Iphone ou Android.

2 – GPS Brasil

Vai pegar a estrada ou até mesmo percorrer um pequeno trecho de carro? Na nossa lista de Top 7 aplicativos para viagem, destacamos o GPS Brasil, um app que funciona sem internet. Isso mesmo, você não leu errado o GPS Brasil funciona offline, e acreditem eu uso sempre e a precisão dos roteiros são ótimas. O aplicativo te mostra também opções de bares, hotéis e atrativos próximos da sua localização.

3. Airbnb

Não gosta muito de ficar em hostel o hostels? Então uma excelente opção é baixar o aplicativo do Airbnb, onde você pode encontrar uma casa perfeita para passar as férias, sendo que esse é um dos serviços de turismo mais famosos quando o assunto é hospedagem.

O objetivo do serviço é fazer com que as residências se destaquem através de uma plataforma segura e fácil de usar. O lado bom é também poder se comunicar com o proprietário da casa que você alugou para tirar dúvidas sobre o local e informações gerais sobre sua estadia. O aplicativo está disponível gratuitamente para Android e iOS.

4.TripIttripit

Outro aplicativo para facilitar sua vida, onde é possível checar horários de voo, rastrear reservas e outras coisas mais relativas à viagem. O TripIttripit acessa todas as informações do seu e-mail, criando um itinerário que inclui informações importantes para a sua viagem, assim como o número de reservas de hotéis e voos, horários, endereços, etc. O app é gratuito e disponível para iOS, Android e Blackberry.

5. CouchSurfng

Vai viajar sozinho e quer fazer novas amizades e além de mergulhar na cultura local? Nada melhor do que se hospedando na casa de alguém da cidade, não é mesmo? Então você pode baixar o app do CouchSurfng, uma comunidade baseada na confiança mútua, onde alguém oferece o sofá da casa para receber um viajante e compartilhar experiências.

No CouchSurfng o que vale é essa troca, e você pode tanto se hospedar na casa de alguém, como também oferecer sua casa para receber. Como uma forma de agradecimento, alguns viajantes oferecem alguma coisa para demonstrar ao host também um pouco de sua cultura, pode ser um jantar ou deixar algum presente, principalmente quem é artista ou tem talento com artesanato.

6. Trip Advisor

Sem dúvida uma das ferramentas mais conhecidas dos viajantes, onde você pode pesquisar a respeito dos pontos turísticos, mas também de hotéis e lugares onde comer. O mais interessante é ver a opinião da galera que já foi, assim você tem uma visão melhor e diversos pontos de vista para tirar sua conclusão. O app é gratuito e está disponível para iOS e Android.

Sabe aqueles penteados incríveis que você vê em casamentos? Então, existe um curso de penteados que te ensina a fazer esses penteados passo a passo.

7 – HotelTonight

Quem quer conhecer os melhores hotéis precisa baixar o HotelTonight, que oferece os hotéis com os melhores preços, mas a grande sacada é conseguir bons preços no mesmo dia, daí o nome. Como nenhum proprietário quer ficar com a cama vazia, o app reúne essas oportunidades de vagas ainda existentes para o mesmo dia. O App está disponível em inglês, com cobertura em Amsterdã, Dublin e várias cidades do Canadá, dos EUA e do Reino Unido.

8 – Skyscanner

Também um app que você pode baixar gratuitamente, ele reúne passagens com preços mais baratos para você poder comparar sempre o melhor preço. No app, você também pode buscar reservar de hotéis em diversas cidades do mundo, verificando assim as condições de cada lugar.

E aí, o que está esperando para cair na estrada? Baixe agora os Top 8 aplicativos para viagem.

Baixe os aplicativos pelo Play Store.

Equipe Swis Saúde

Couro cabeludo, doenças e tratamentos

Hoje temos um tempo muito bacana para abordar, problemas em geral no couro cabelo, você conhece? Você sabe quais podem surgir em determinado momento da sua vida? E a queda de cabelo?

Tem muita gente que precisa conhecer um pouco mais sobre esse assunto e essa é a oportunidade.

Já imaginou abrir o seu negócio após se profissionalizar com um curso de barbeiro online ? Conheça aqui o curso que vai mudar sua trajetória de vida.

Queda de Cabelo

Esse assunto é um assunto muito polêmico e as mulheres tem muitas dúvidas mesmo e isso é natural.

Pra gente começar vamos responde uma dúvida muito comum.

É verdade que em algumas determinadas épocas do ano a queixa de queda de cabelo aumenta mais?

Sim, é verdade. Existe uma sazonalidade que a gente costuma enxergar no segundo trimestre do ano que está relacionada com um pouquinho da mudança do ciclo de crescimento do cabelo.

O cabelo respeita um ciclo que não se muda, raramente temos uma interferência que muda a maneira como o cabelo se comporta dentro desse ciclo, mas a radiação ultravioleta pode interferir nisso.

E como a gente fica mais exposto a isso no verão, então quando chega de março para frente a gente começa a ter essa preocupação com o impacto que o cabelo sofre, que pode ser a queda ou pequena perca capilar.

Isso porque a radiação ultravioleta do verão interferiu no ciclo do cabelo.

Então se você tem notado uma queda de cabelo maior de março para frente, de fato pressuipoe que este é o motivo da queda.

Quais os principais indícios que o cabelo está caindo?

Na verdade temos algumas preocupações porque tem gente que não percebe o cabelo cair, tem gente que percebe o cabelo ralear. Em alguns casos o cabelo cai em uma quantidade normal, mas ele não é reposto de uma maneira normal, gerando um saldo capilar. Ou seja, se você perde cabelo normal e repõe menos você tem um saldo negativo e o inverso é verdadeiro.

Então temos a percepção de Queda ou de Raleamento do cabelo, que pode acontecer no dia a dia, então fique atento e perceba a quantidade de cabelo que cai durante o banho, na escova, durante o sono, durante o trabalho.

Meu cabelo está caindo, o que devo fazer?

Procurar um médico. Somente o médico poderá examinar e concretizar u laudo mais seguro e certo.

 

Não perca tempo e faça um curso de cabeleireiro masculino e mude sua história empreendedora.

 

Equipe Swis Saúde

Síndrome do Pânico

A síndrome do pânico é um tipo de transtorno muito desagradável, começa com nada numa determinada situação, de repente seu coração dispara as mãos ficam geladas você começa a sentir mal achando que vai acontecer uma coisa muito grave.

Muitas das pessoas quando têm esses ataques de pânico vão parar no pronto-socorro e os médicos fazem eletrocardiograma e avaliam, isso porque o quadro é muito parecido com problemas cardiológicos, como ataques cardíacos.

Quais os sintomas da síndrome

Agora o importante no momento da síndrome do pânico é que a pessoa tem impressão que vai morrer, achando que o coração ta batendo tão depressa que aquilo vai provocar uma tragédia na vida dela naquele momento.

Porque acontece a síndrome do pânico?

Porque em um determinado momento a ansiedade atingindo certo nível a liberação de fatores de mediadores químicos na circulação que provocam todas as alterações, que provoca reação de desespero.

O pânico é necessário em certo momento, como por exemplo se você se dá de cara com um leão, você tem que entrar em Pânico mesmo para poder reagir, sair correndo e etc, mas não é normal você sentir Pânico porque o carro passou no túnel, ou por que você entrou no elevador com muita gente, ou porque você se aproximou de um lugar perigoso que existe um precipício por exemplo, ou você viu um cachorro como muitas pessoas têm.

Esse Pânico exagerado e desproporcional ao estímulo que o provocou é o que a gente chama de síndrome do pânico.

 

Existe tratamento para síndrome do pânico?

Sim! Há tratamento para síndrome, existe medicamentos que você pode tomar quando você percebe que vai entrar naquele quadro. Por exemplo, gente que tem Pânico de avião, você pode tomar medicamento antes de entrar no avião, é um pânico sem sentido porque é muito raro acontecer um acidente de aviação e no entanto tem gente fica desesperado dentro dos Aviões.

Há casos em que não dá para prevenir se de repente você tem uma crise dessa por uma razão completamente Inesperada.

O problema da síndrome do pânico precisa de tratamento, porque se você tem uma vez o Pânico você pode ter novamente em outra situação.

 

Situações comuns que desperta a síndrome do pânico:

  1. Pelo fato da pessoa estar em um elevador lotado e o elevador parou entre dois andares e daí a pessoa sentiu os sintomas e entrou no quadro de pânico.
  2. Outra situação também, imagina a pessoa em um metrô que parou entre duas estações e o fato de estar parado e confinado a pessoa entra em pânico.
  3. Ou até mesmo no trânsito e o trânsito está parado e esses ataques de pânico pode se disseminar e começar a acontecer.

Isso pode acontecer em qualquer situação ou em diversas situações.

Muitas pessoas com síndrome do pânico não tratada acaba ficando em casa fechados com medo até de sair na rua. Quando você tiver um ataque de pânico procure ajuda, procure ajuda porque os médicos psicólogos eles podem fazer muito para te ajudar.

 

 

Equipe Swis Saúde

Cuidados com a alimentação

A primeira regra quando sabemos que para obter resultados precisos com a alimentação é, comer de 3 em 3 horas. Essa é primordial.

Alguns exemplos seria para ganho de massa muscular, logo após o treino você deve deve fazer um shake ou uma alimentação de forma adequada, o mesmo já não acontece para quem quer emagrecer onde que o correto seria esperar em torno de uma hora para se obter melhores resultados.

Muitas pessoas vão em jejum para academia e isso não é correto, pois o que acontece é que essas pessoas acabam utilizando como substrato de energia a sua própria proteína muscular e assim perdendo benefícios com treinamento, isso quando não acontece de entrar em quadro de hipoglicemia.

 

Também o quanto comer é a segunda regra.

O quanto comer se consiste em quatro conceitos, cujo objetivo também é para ganho de massa magra. E para ganho de massa normalmente deve-se fazer uma ingestão de calorias um pouco maior do que o recomendado para emagrecer.

O segundo fator é o Biotipo ele influencia diretamente também nas necessidades de consumir os alimentos corretos.

O estilo de vida seria um terceiro quesito bem interessante para levar em consideração quando falamos de ingestão de quantidades. Ou seja se a pessoa é ativa, dependendo do trabalho e do estilo de vida que ela adota seria interessante ingerir mais um alimento do que de outro.

 

A terceira regra seria como comer e de que forma.

Eu devo preparar esses alimentos consumindo-os normalmente como assado, cozido ou grelhado. Em forma de fritura seria interessante evitá-las.

 

A quarta regra sobre o que comer

Os alimentos são divididos em macronutrientes e micronutrientes os micros nutrientes são vitaminas e minerais normalmente livre de calorias e os macros nutrientes são compostos por carboidrato, proteína e lipídios.

Carboidratos são divididos em duas classes os complexos e os Simples. Os complexos são definidos por provocar uma digestão mais lenta, esse é o mais recomendado para qualquer atividade física. Os simples são derivados de açúcar o que nós deveríamos evitar o consumo excessivo e consumir em alguns momentos durante o dia.

Sem proteínas também ao se dividir em duas cargas de alto valor biológico que são derivados de animais, uma das formas mais indicada para ter resultados e a de baixo valor biológico que são as de grãos (origem vegetal), é importante fazer combinações entre eles para oferecer todos aminoácidos recomendado para o organismo.

 

Os lipídios HDL e LDL

O HDL nós encontramos em peixes de águas frias, linhaça, azeite de oliva. Logo o LDL seria a forma de lipídio menos comum, sendo a base de frituras e carne gorda.

Para você obter os seus resultados em manter sobretudo uma vida saudável, você tem que dar uma atenção extra à alimentação, pois ela está diretamente interligada nos resultados dos seus treinos e para isso o mais interessante seria que você consultar um nutricionista direcionado a área esportiva, ele sim vai estar habilitado a concluir essas quatro regras de forma mais exata.

Veja também uma artigo voltado para alimentação de diabéticos, lá você aprenderá o que o diabético pode comer e saber como criar rotina para alimentação para diabéticos.

Confira também o site na integra: http://receitaspraticas.com.br/

Equipe Swis Saúde